Cidade Infraestrutura Verde

Renovação urbana em Seul, na Coréia do Sul

No post de hoje nós iremos conhecer um pouco sobre a renovação urbana que a cidade de Seul, na Coreia do Sul, passou com a recuperação do Rio Cheonggyecheon.

Autor: City 4Us

A trajetória do Rio Cheonggyecheon (pronuncia-se tchón-guie-tchón e seu nome quer dizer córrego limpo) se inicia ainda no século XV, quando possuía características de córrego. Seu trajeto cortava a cidade de Hanyang, onde hoje é a cidade de Seul, no sentido leste-oeste. O rio era um braço do Rio Hang e responsável pela drenagem das águas das montanhas ao seu redor. Devido uma série de inundações que prejudicavam a cidade de Hanyang, o Rei Taejong ordenou obras de dragagem, retificação do seu trajeto e a construção de barragens e pontes sobre o córrego. Assim, o Rio Cheonggyecheon passou a ser responsável pelo controle das inundações e por captar o esgotamento da cidade, além de encaminhá-lo para o Rio Hang.

Séculos depois, com a saída dos japoneses e o fim da Guerra das Coreias (1950-1953), houve um intenso movimento migratório para capital. Sem o planejamento adequado, coube as pessoas ocuparem o leito do rio, que passou a receber todo o esgoto das moradias. Em pouco tempo, o rio apresentava cheiro de fezes, lixo, areia e começou a ser visto como um grande problema de saneamento para a cidade.

Com a intensa urbanização e industrialização do país, iniciou-se a busca pela solução da questão. Em quase 20 anos, todo o rio foi coberto para atender a mobilidade urbana. Com comprimento de 6km e largura que variava de 50m a 90m, o rio atravessava o centro da cidade e se tornou uma importante via pública. Já nas décadas de 60 e 70, um elevado foi construído com a intenção de representar a modernidade, especialmente no que tangia ao automóvel. Nas décadas seguintes, as vias expressam que tamponavam o rio ganharam importância na malha urbana viária e chegaram a transportar 120 mil veículos/dia.

No início dos anos 2000, os problemas que as vias apresentavam passaram a ser questionados. A possibilidade de demolir as vias, resgatar o rio e ofertar uma melhoria na qualidade ambiental ganhou força e aderência não só pela população, mas pelos políticos locais. O prefeito do período, Myung-Bak Lee, teve inclusive sua campanha eleitoral baseada no projeto. E assim que tomou posse, em 2002, iniciou as obras. Em 2005, sob o custo de 380 milhões de dólares, as obras chegaram ao fim. Os responsáveis pelo projeto foram o vice-prefeito, Yun-Jae Yang, um urbanista e paisagista, ao lado de dois consórcios de engenharia selecionados via concurso e uma grande equipe multidisciplinar.

O projeto contemplou a demolição das vias e dos leitos carroçáveis das vias existentes; o aumento da sua  largura, considerando as cheias dos últimos 200 anos; a reutilização de 75% do concreto e asfalto já existentes; restauração do curso d`água; a execução de 17 locais de acesso a orla e 22 pontes para conexão dos extremos; a instalação de arte pública; a inclusão de caminhos para pedestres, ciclistas e corredores, além de um centro comunitário. A relação entre pedestres e veículos foi totalmente reconfigurada, dando preferência ao primeiro. Posteriormente a sua inauguração, o rio passou a ser um ponto importante no planejamento do centro da cidade, sendo visto como um possível impulsionador da economia local. É importante observamos que houve uma intenção de recuperar o rio tanto por parte dos governantes quanto pela população. Houve uma remodelação na parte de mobilidade urbana, com a reestruturação da malha viária, além de investimentos nos acessos ao novo parque linear da cidade. Diversas estações de metrô estão conectadas ao rio e novas linhas de transporte público foram criadas para atender às novas demandas. Sem falar da recuperação patrimonial e histórica do trecho e do resgate ambiental.

Perfil viário
Perfis

Atualmente, há um debate sobre a questão das valorização dos locais próximos ao parque, visto que se tornou ponto de intensa movimentação de dia e de noite. Cerca de 30 mil pessoas circulam somente aos finais de semana no parque.

E na sua cidade, existe algum rio tamponado por vias ou que esteja poluído? Você sabe quais rios estão escondidos por uma malha viária na sua cidade? Conta aqui nos comentários para gente!

Até o próximo post!

Referências:

https://www.gsd.harvard.edu/publication/a-city-and-its-stream-the-cheonggyecheon-restoration-project/

http://www.viveraviagem.com.br/cheonggyecheon/

http://www.ufrgs.br/arroiodiluvio/a-bacia-hidrografica/imagens-de-seul

0 comments on “Renovação urbana em Seul, na Coréia do Sul

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: